Pesquise FIlmes

2 de novembro de 2012

Vai criar o seu blog? E é amante de cinema? Então junte vontade e paixão!


Um blog é tão interessante quanto quem o faz. Se você encontra um determinado blog que é um pouco maçante e chato, existem grandes chances de seu autor ser desse jeito também. Então, se você estiver pensando em criar um blog, uma das coisas mais importantes é fazê-lo o mais interessante possível.
Lembre-se de que é muito importante não copiar os outros, embora muitos achem que a imitação seja a melhor forma de elogio. Aprimorar a sua escrita e ortografia, escrever uma entrada, ser duro consigo mesmo e editá-lo minuciosamente, são alguns dos segredos para um blog dar certo!

Uma das coisas que você precisa ter em mente antes de começar seu blog é o tipo de hospedagem que você precisa. Seu blog te m potencial para crescer bastante ou será um blog mais pessoal? Dependendo disso existem planos bem baratos que podem ir encarecendo a medida que seu blog for crescendo, já que precisará de mais recursos e espaço em drive. Depois que você decidir isso, é hora de começar a pensar no conteúdo do seu blog. 

Você pode começar com um tema que reflita seu próprio interesse pessoal, mas depois você pode expandir seus horizontes, pesquisando em links relacionados fornecidos por outras pessoas e assim enriquecer seu blog e todos aqueles que o vistam.
Às vezes as pessoas fazem perguntas e isso pode iniciar uma discussão diferente, que você pode pegar e incorporá-la em outras direções. Se, por exemplo, você começar um blog sobre cinema você pode encontrar entre leitores postando seus comentários sobre os seus filmes favoritos e de repente um leitor menciona um livro, no qual um filme é baseado, então pode começar um segmento diferente. Isso pode ser mais divertido do que você imagina.

Vamos falar sobre regras para blog: elas não existem, o que existe mesmo é o bom senso. Mas você deve sempre tomar cuidado para levar aos seus leitores um conteúdo que eles achem interessante e que pode fazer a diferença. Se o seu objetivo é partilhar de seus conhecimentos de cinema com outras pessoas, não coloque senha no seu blog; deste modo só você irá conseguir ver o conteúdo nele.
Quanto mais você pesquisar sobre um assunto específico, mais os tópicos irão melhorar e mais conteúdo você terá a chance de mostrar no seu blog. E quando se trata de criar um blog sobre cinema, os assuntos são infinitos, mas se lembre que pode optar por explorar apenas os que você realmente entenda para não acabar passando informação errada aos seus leitores.

É sempre melhor você mesmo escrever os artigos do seu blog, com seu próprio estilo e maneira de escrever. Lembre-se que o escritor pode não ser tão apaixonado como você em relação ao cinema, então a qualidade pode não ser a mesma. Mas se por algum motivo você precisar ter um escritor de artigos, certifique-se de que ele fornece conteúdo original e não plagia versões da informação disponível gratuitamente na internet.

Se você ainda está sem ideias para o seu novo blog sobre cinema, basta visitar alguns sites e ler alguns fóruns de discussão em busca de inspiração. Tome nota dos temas e pontos que são interessantes e explore isso mesmo.
E lembre-se que um blog bem escrito pode lhe dar muita satisfação. Você pode até usá-lo para promover o seu negócio e para anunciar seus produtos. O potencial é ilimitado.

9 de junho de 2012

Priscilla, a Rainha do Deserto


Priscilla, a Rainha do Deserto é um filme australiano vencedor do Oscar que conta a história de três drag queens que cruzam o deserto australiana para fazer um show, sendo este o pano de fundo para uma série de cenas hilárias, dando a película uma dinâmica e leveza. Em Priscilla também se fazem presente muitas cenas dramáticas, abordando temas como homossexualismo, homofobia e além da diferente situação de um dos transformistas, Tick, o qual é casado com uma mulher lésbica e possui um filho de quem quer esconder sua profissão.

O figurino, maquiagem e a locação são fatores que abrilhantam ainda mais o filme, sendo uma cena marcante deste, aquela em que Adam (personagem de Guy Pearce) está em cima do ônibus, enquanto este passa pelo deserto, com um gigantesco e esvoaçante figurino de show. Quanto as atuações, são todas ótimas, principalmente as de Pearce e de Terence Stamp, os quais realmente surpreendem em seus papéis.
Priscilla, a Rainha do Deserto é uma inteligente comédia que prega a não-homofobia, valendo realmente a pena assistir a ele.

5 de maio de 2012

O Puritano da Rua Augusta


Em homenagem aos 100 anos do nascimento do cineastra Mazzaropi resolvi escrever essa resenha sobre O Puritano da Rua Augusta que em minha opinião é o melhor filme dele.

Em contradição ao personagem que o deixou famoso, o Jeca, Mazzaropi faz nessa película, o papel de Punduroso, um chefe de familia abastado, casado com uma bela moça mais jovem (Marly Marley) e dono de uma conduta extremamente conservadora que tenta passar, de forma hilariante, os valores morais e de conduta  para seus filhos e sua esposa, representados como modernos e vanguardistas burgueses. Entretanto tal quadro se modifica quando o protagonista sofre um infarto responsável por faze-lo repensar seu estilo de vida, passando a se comportar com um jovem, fato que enlouquece ainda mais seus filhos.
O longa possui cenas de humor pastelão em sua essência,  responsável por tirar mais gargalhadas dos espectadores que as cenas de diálogos cômicos (presente em boa parte do filme, diga-se de passagem). Tais elementos, somados as ótimas atuações de todo elenco, mais em especial de Amácio Mazzaropi, Marly e Elizabeth Hartmann, faz da película um ótimo exemplo de comédia ingênua e absurda, que tanto falta as produções de hoje.

Entrevista com o Vampiro

Entrevista com o Vampiro é um longa metragem de 1994 baseado na obra homônima de Anne Rice, que ficou conhecido por reunir em seu elenco grandes símbolos sexuais da época (Brad Pitt, Tom Cruise e Antonio Banderas), os quais, em seus papéis como vampiro, atiçavam o fetiche de várias mulheres.
O filme se passa como um entrevista dada pelo vampiro Louis (Brad) para o jornalista Daniel (Christian Slater), contando sua vida desde que foi mordido por Lestat (Cruise), quem se tornou uma espécie de guia para aquele, até seus dias mais atuais. Em seus relatos ele conta sua experiencia com um grupo de vampiros fracos que se passam por atores e sua convivência com a jovem Claudia. A película, mesmo tendo um bom roteiro e um perfeito trabalho de maquiagem, deixa um pouco a desejar, sendo o único fator motivador para eu escrever essa resenha a personagem Claudia, que na minha opinião, é uma verdadeira obra prima de Anne Rice.
Claudia é uma garotinha que após a morte da mãe é transformada em vampiro por Louis e Lestat, passando a ser criada, então, por estes. Cheia de paradoxos e dualidades, a jovem possui ao mesmo tempo a inocência de uma criança (representada no filme pelas bonecas) e a sede feroz de sangue de um jovem vampiro, além de, ao passar do tempo começa a agir como a adulta, ainda que sua fisionomia infantil se mantivesse, passando a ter por Louis, além de um sentimento filial, uma espécie de paixão platônica responsável por faze-la tomar atitudes inconsequentes. O papel é interpretado por Kirsten Dunst, na época com 11 anos, de forma impressionante, mostrando um talento que em alguns filmes parece faltar em Dunst hoje.
Entrevista com o Vampiro é um filme fantasioso muito bem gravado que cai muito bem para uma hora de lazer.

7 de abril de 2012

A Bíblia...No Inicio

No Inicio é uma grandiosa super-produção de 1966 cuja proposta foi representar de maneira compacta (mesmo tendo quase 3 horas de duração) e concisa o livro bíblico Gênesis; para tal fim, o genial diretor John Huston usa cenas curtas e objetivas que fazem menção a cena posterior para localizar o público, sendo utilizado ainda o método de narração  quando o salto temporal entre elas é muito grande.
Huston também abusa dos efeitos especiais mais modernos de sua época em trechos marcantes da película como a criação do Universo, a expulsão do paraíso e a brilhante cena de Sodoma e Gomorra. Quanto ao elenco, é integrado em sua maioria por atores italianos pouco conhecidos no mundo hollywoodiano, sendo os mais famosos Ava Gardner e George Scott; apesar disto todas as interpretações são um primor, principalmente a de Ava Gardner que rouba a cena como Sara.
A Biblia...No Inicio é um ótimo exemplo de um filme épico de cunho bíblico de sucesso e muito bom gosto, valendo a pena assisti-lo, mesmo sendo um pouco confuso para aqueles que não possuem um conhecimento mais aprofundado dos dois primeiros livros do Antigo Testamento.

6 de abril de 2012

O Labirinto do Fauno

O Labirinto do Fauno é uma fantástica produção espanhola/mexicana ambientada na Guerra Civil Espanhola e possui como trama a história de Ofélia, uma garota obrigada a viver em um acampamento militar com sua mãe e seu novo padastro (capitão franquista), a qual para fugir de sua vida turbulenta, cria uma espécie de realidade alternativa composta por seres mágicos, entre eles o Fauno, guardião do labirinto que leva ao mundo subterrâneo.
O grande trunfo utilizado pelo diretor Guilhermo del Toro foi exatamente a mistura de um contexto fantasioso com o contexto histórico (retratando-o de forma muito verossímil, diga-se de passagem) trazendo uma dinâmica singular ao longa, sendo do começo ao fim, contínua. Outro ponto louvável é o jogo de câmeras, principalmente nas cenas de violência, que apesar de serem expostas, lembrando em muitos momentos um filme de terror, são totalmente contextualizados, não agindo como um chamariz de publico como ocorre em alguns filmes.
Quanto as atuações, as melhores são sem duvida, as de Doug Jones (Fauno) e Sergi López (padastro de Ofélia). Interpretação ótima também foi a de Ivana Baquero (Ofélia), mesmo parecendo em alguns momentos, forçada.
O Labirinto do Fauno é um dos poucas películas de fantasia que passam uma mensagem mais sólida para o espectador, sendo responsável por uma reflexão mais profunda sobre o que é fantasia ou não.

26 de fevereiro de 2012

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain


Esta película, lançada em 2001, é um novo clássico do cinema francês e talvez mundial e conta história da fictícia garçonete lunática Amélie Poulain, a qual após devolver uma caixinha encontrada para seu respectivo dono, resolve ajudar as pessoas a sua volta fazendo pequenas ações, até que encontra seu aparente par perfeito.

O melhor do longa é sem dúvida nenhuma o roteiro escrito por Guillaume Laurant que assim como a protagonista é lunático, complexo, engenhoso e com um forte e raro senso de humor. Outros fatores marcantes no filme é a trilha sonora, com musicas mais instrumentais, e a bela locação parisiense.
Quanto as atuações, Audrey Tautou (que ficaria posteriormente conhecida pelo seu papel de Sophie Neveu no filme Código da Vinci) faz uma interpretação sensacional como Amélie, sendo seu sorriso malicioso, dado a câmera sempre que a protagonista faz uma boa ação, marcante. Outras interpretações boas foram de Rufus, Isabelle Nanty e Dominique Pinon
O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é o tipo de longa que me agrada, uma vez que seu roteiro "louco" nos obriga assistir a ele mais de uma vez.